Entendeu Ou Quer Que Eu Desenhe?

Estou atrasado. Na verdade eu estou sempre atrasado, mas é que eu passo horas na internet na madrugada e acabo ignorando o despertador na manhã seguinte. Preciso mudar isso. Mas também, acordar pra ir trabalhar é uma merda, eu queria acordar pra ir fazer compras, ir ao parque, qualquer coisa melhor. Isso é viver, a gente tem que encarar.
Saí de casa com muito sono. Peguei o ônibus e ainda bem que conseguir ir sentado. Dormi até a hora de descer no metrô. Muita gente, loco cedo. Catraca, mais gente, escadas, mais gente, plataforma, mais gente. Eu atrasado. Trabalho.
O metrô chegou e entrei. Por sorte, a estação que pego não é assim tão cheia quanto outras, e ás vezes consigo pegar banco disponível. Hoje foi um dia desses.
Fones de ouvido e livro.
São umas 7 ou 8 estações até eu descer. Coisa rápida. Até que em uma delas percebi que o vagão demorou pra fechar as portas. As pessoas pareciam inquietas. Tirei os fones. Olhei pros lados procurando alguma resposta, que estranho, já eram 10 minutos parados. Atrasado, sempre atrasado. Trabalho.
15 minutos de espera e então ouço: “Estamos com problemas na operação, continuaremos a viagem em 5 minutos, o Metrô agradece a compreensão.” Não tinha o que fazer a não ser esperar. Fones de ouvido denovo. Eu estava sentado na janela. É sempre mais confortável.
Reparei então que tinha um metrô parado do outro lado também. Muita gente lá, mais que no meu.

Reparei em uma garota.

Uma garota com fones de ouvido. Ela parecia inquieta, impaciente, parecia estar atrasada também, vai saber. Estava com roupa social, mas com cara de “tenho uma entrevista” hoje. Tenho mania de encontrar consolo alheio pras minhas dores e raivas.
Ela era bem bonita. Se destacava entre toda as outras dos dois vagões. Eu a olhava com timidez, intercalando o meus olhares com algumas olhadas no meu relógio. Ela percebeu e começou a me olhar também. Me acenou um “oi”. Meio desajeitado, retribuí com o anexo de um sorriso sem graça. Ela começou a tentar falar algo. Eu não conseguia entender nada. Leitura labial é algo que eu nunca soube fazer, ainda mais com sono uma hora daquelas.

“T U D O  B E M? M E U N O M E É LISSA E O S E U?”
Lissa.
“T U D O E V C? O M E U É MARK!”

Torci pra que tivesse entendido meu recado, não sei muito bem escrever em vidros.
“Obrigado pela compreensão, estamos partindo!” As portas começaram a se fechar novamente e em 15 segundos que reparei nisso olhando pra porta e voltei a olhá-la, ela segurava um papel escrito:

“LISSA LEM, Me procura no facebook! Adorei você lendo ‘Eu Quero o Hoje Pra Sempre’ olha aqui agora…”.

Ela segurava na outra mão o mesmo livro que eu lia, só tive tempo de sorrir como gratidão. Os metrôs tomaram seus rumos lentamente, a vi sumindo pela janela.
45 Minutos de atraso no trabalho mas não tinha problema. Eu estava feliz!

“Hey Mia, bom dia! Obrigado pelo livro, adorei!” A Mia, colega de tralbalho, tinha me emprestado esse livro.
Todas as pessoas podem ser importantes na nossa vida, muitas delas nos ajudam tanto que nem fazem ideia. A gente nunca constrói a nossa história sozinho.

“LISSA LEM aceitou sua solicitação de amizade”

 

Anúncios

3 respostas em “Entendeu Ou Quer Que Eu Desenhe?

  1. Excelente!
    Leio teus textos e as vezes parece que tu publica alguns trechos que batem comigo, sabe?
    Sério, tu escreve maravilhosamente bem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s