Sexta-Feira, Sua Horrível

Sei lá, fico triste por você ter mudado tanto.
Outro dia sem querer me peguei vendo algumas fotos da vida que tem levado. E não foi uma das melhores pra se ver.
Você até que parece estar feliz, é bem verdade, mas eu não conheço mais ninguém do teu círculo de amizade. Vi nas fotos algumas pessoas que posso supor que tenham passado pela sua boca. Sei lá, pode parecer xulo falar uma coisa dessas, mas o fato é que eu realmente não sei de mais nada que passa na sua vida e o que me resta aqui é especular, porque não me cabe te perguntar nada.

Sempre gostei da forma que a gente conversava, era um jeito muito nosso onde eu me sentia particular. Mas é inevitável eu imaginar você falando da nossa maneira com outras pessoas, com outros Eles.
Isso sem contar que eu se parar pra pensar em quem hoje tem o teu sorriso mais vezes que eu, se eu parar pra pensar em quantos abraços você tem dado, eu certamente vou querer morrer simplesmente por não querer imaginar esse cena.

Talvez eu tenha mudado também. Vivi muitas coisas desde então, conheci muita gente e em algumas das minhas fotos aparecem pessoas novas comigo, desconhecidas por você, que de repente você pode pensar o mesmo que eu. No entanto, e você não faz ideia, eu praticamente perco a respiração nas raras vezes que você me chama na internet e diz “oi =)”. Me vem um frio tão grande na barriga que eu não consigo me concentrar mais em nada.

Sinto tanta raiva por me sentir fraco demais.
Em pensar que agora você deve estar planejando sua baladas do fim de semana, onde e com quem ir, com que roupa, planejando tudo enfim, e eu estou aqui pensando em qual filme assistir, qual comida vou experimentar, qual programa de TV vou ver.

E tudo sozinho.
Como tem sido desde que você preferiu viver outro momento.

Faz tempo que perdi a graça sobre os fins de semana. Não consigo sentir um pingo de ansiedade em ter “tempo livre”. A minha sorte é que com o passar do tempo felizmente atingi um nível de auto-suficiência que me deixa particularmente preenchido. Tem tanta coisa que eu fazia com você, ou algumas novas que poderíamos estar fazendo agora, que eu faço tudo sozinho, e então eu me forço a encontrar vantagem nessa vida acompanhado por mim mesmo.

Entenda, não é drama, na minha parte da história, é a realidade.
Tento sair, tento me divertir, mas acho que a ferida ainda não cicatrizou e parece que todas às vezes que eu tento acelerar esse processo, eu só me machuco mais.

Enquanto eu me machuco sozinho você nem faz ideia se estou vivo.

É claro que eu nunca vou te cobrar que se preocupe comigo da mesma maneira que eu faço com você mesmo nós não estando mais juntos, é que tem horas que eu me pergunto: “Será que você pensa em mim alguma vez na semana? Se sim, será que a lembrança que eu tenho sua, a forma como isso me abala, se compara a lembrança que você tem de mim? Será que eu me tornei só mais uma página lida, numa história como outra qualquer, da sua vida?”

Por isso e mais um monte de coisa que eu sumi. E não tem sido fácil.
Quando eu não aguento de saudade, me forço a lembrar de algum momento nosso até rir sozinho, e é uma loucura eu sei, acontece que foi a única a saída que eu encontrei pra poder contornar a falta que você me faz, sem precisar te falar da falta que me faz.

Sei lá, fico triste por você ter mudado tanto.
Fico mais triste ainda por eu não ter mudado nada.
E o amor continuar o mesmo.

Anúncios

5 respostas em “Sexta-Feira, Sua Horrível

  1. Sem uma palavras, juro que as perdi ao chegar na última frase desse texto.
    Mais uma vez, eu me sinto no direito de dizer que o texto está sensacional, lindo, verdadeiro e muito emocionante!

    Gosto muito, de tudo o que você escreve.

    eu já disse, mas neste caso, vale repetir: você é sensacional!

    Super beijo!

  2. Olá, olha eu aqui de novo, se lembra de mim? Deve ser tantas pessoas que nem deve se lembrar, mas eu sempre lembro de vir aqui dar uma atualizada no seu blog pra ver o que você escreveu, e sempre me surpreendo. Ás vezes tenho até medo, não sei que palavra usar, mas sempre, a cada texto é como se você soubesse exatamente por em palavras, o que eu ando sentindo aqui dentro do peito, e não consigo por pra fora. Ando passando por situações complicadas. Adorei o finalzinho:

    “Sei lá, fico triste por você ter mudado tanto.
    Fico mais triste ainda por eu não ter mudado nada.
    E o amor continuar o mesmo.”

    Além dele, todo o texto, assim como tudo que você escreve aqui. Está de parabéns, tenho um carinho enorme pelo seu “trabalho” ou hobbie, não sei como interpreta o que faz, e continue assim, porque você deve fazer um bem danado pro coração das pessoas, como faz pro meu nos momentos difíceis que a vida prega na gente e não só neles, como nos bons também. Até o próximo texto.

  3. “Sei lá, fico triste por você ter mudado tanto.
    Fico mais triste ainda por eu não ter mudado nada.
    E o amor continuar o mesmo.”
    Porque você faz isso com a gente Márcio??? Brincadeirinha…
    Nossa! Fiquei sem ar com esse final!
    Eu posso sentir e desenhar na minha mente todas essas palavras escritas por ti… É o que eu mais gosto em ler teu blog, não é clichê de filme romântico, é o que todos já viveram,vivem ou viverão algum dia.
    I ♥ Um travesseiro pra dois!
    Muito,muito,muito bom! =)
    Bjo grande!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s