Nosso Banho Na Hidro Fica Pra Próxima

Ah que preguiça que dá.
Tem dias que acordo sem forças até pra escovar os dentes. Por mim eu ficaria na cama com você, zapeando a TV, sem qualquer preocupação.
Hoje é um dia desses.
Você lembra a hora que dormimos? Porque eu não lembro!
Eu só lembro que delicadamente tentei te seduzir na intenção de fazermos uma coisinha legal e tal sabe, aí lembro também que consegui um “chega pra lá” seu. Você com sono fica muito irritada. Esqueci disso e lembrei que preciso revisar meus métodos.

Vamos ficar por aqui mesmo, enrolar um pouco mais, depois a gente toma um banho juntos e tomamos o café. A gente se basta.
Só que eu te conheço, sabia que você ia querer levantar pra escovar os dentes e ver o cabelo. Coisas de mulher. E que visão privilegiada é a minha ao te ver saindo da cama. Coloca os pés pra fora e busca o chinelo, não encontra, se ajoelha no chão, coloca um pouco de cabelo atrás da orelha para facilitar a visão e procura embaixo da cama.

“Que droga, cadê o chinelo?”
“Ali amor, na ponta da cama!” te aponto.

Levanta, calça e caminha até o banheiro. De roupas íntimas. Vejo teu corpo e analiso cada parte enquanto você faz uma pausa em frente ao espelho. Teu corpo não é daqueles das capas de revista, mas isso nem me importa, até porque aqueles corpos não são reais, o seu é, do teu jeito, cada centímetro ali é seu e eu gosto de cada um deles.

Aí você vai ao banheiro e mexe em mil coisas. Não sei de onde tira tanta disposição, prefiro ficar aqui olhando o teto, nem quero abrir a persiana. Olho o relógio até a visão ficar turva e viajo na noite que tivemos e nos dias que temos tido até aqui. Todos tão nossos e tão especiais.

“Pronto, me sinto melhor!” você diz.

Vem você do banheiro fazendo um rabo de cavalo no cabelo, reclamando com o surgimento de uma nova espinha e dizendo que é melhor eu me levantar.

“Ahh xiu e vem aqui, vai!” te puxo pra cima de mim ainda na cama. E por alguns segundos meu cérebro estaciona na minha visão do teu rosto. Faço círculos nas suas bochechas e acaricio cada célula.
Faz parte de você ser toda resistente, mas acaba cedendo e cai sobre o meu corpo, repousando a cabeça sobre o meu peito após um rápido selinho.

“O que você está achando de tudo isso?” me pergunta.
“Como assim de tudo isso?”
“De tudo isso sabe, da gente, de como estamos lidando com a nossa história”.

Engulo a seco sem entender muito bem o por quê da pergunta, respiro e respondo:

“Eu estou achando tudo nosso…”
“Como assim, NOSSO?” pergunta se levantando do meu peito e apoiando o queixo sobre ele pra me olhar nos olhos.

Coloco as duas palmas das minhas mãos atrás da minha cabeça e explico:

“Eu poderia dizer que tudo é perfeito entre a gente, mas seria a maior bobagem dita. Não há perfeição, a gente tem um jeito nosso de lidar com nós mesmos. Parece confuso, né? Mas deixa eu terminar. Você tem o teu jeito, teu temperamento e eu tenho meu. Por exemplo, você gosta de acordar e já ir ao banheiro, já eu, por mim nem escovaria os dentes hoje. É tipo isso, o jeito que cada um de nós somos completa o que nos falta. E a gente vai vivendo assim, brigando alumas vezes, rindo outras, nos amando em algumas outras. Até que somos um casal equilibrado, sabe?” Concluo já fazendo carinho no seu cabelo.

Você não diz uma palavra, se aproxima do meu rosto e me brinda com um beijo oficial de bom dia.

“Mas por quê você me perguntou disso?” pergunto curioso.

“É que eu queria saber se a gente ainda pensa igual” responde misteriosa.
“E e que sabe agora?”
“Que pensamos cada vez mais igual” e me silencia com um novo beijo acariciando meu rosto.

11:45! 11:45! 11:45! 11:45! 11:45! 11:45! 11:45!

MEU DEUS DO CÉU, PERDEMOS A HORA! Temos que sair do quarto, nosso pernoite acabava as 11h! Falei pra você se levantar, poxa!
Então nos levantamos na velocidade da luz, rindo um do outro!

“Poxa, é tão legal fingirmos que é nossa casa!” eu falo, você ri de mim e diz:
“Bobo, sei que é, também gosto muito, mas vai ser melhor ainda quando tivermos a nossa casa de verdade e não só um quarto alugado! Agora seja rápido!”

Mandona, esse é teu jeito.

Quanto mais aprendo a lidar com você, menos aprendo a lidar com horários de Motel.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s