Continue Fazendo Sua Parte Que A Vida Faz A Dela

12 de Junho de 2012.

Antes de continuar lendo estas palavras, se possível, dê play na música que mais gosta. Se não possível for, apenas concentre-se nas novas palavras a seguir.

Te convido agora a congelar os próximos minutos da sua vida para refletir sobre o modo que tem lidado com você mesmo. Quero, se não for pedir muito, que pare e analise cada atitude sua ao longo desse último e exato 1 ano completado hoje. Repense tudo, seu trabalho, estudos, comportamento, família, amigos, relação com o mundo, com absolutamente tudo, reflita, não se preocupe com a velocidade, é importante que faça uma análise profunda dentro de você. Vou te dar um tempo para se adaptar e entender o mecanismo, ok?

Pronto, seu tempo acabou. Vamos lá.

Talvez após essa análise você tenha percebido o quanto chorou de um ano pra cá, talvez você tenha notado que ao que que parece, definitivamente a felicidade chegou para te fazer companhia sem passagem de volta, ou quem sabe, com sorte, você tenha reparado em alguns dos erros que cometeu nesse período. Ou talvez tenha chegado a conclusão de que aconteceu tudo isso nesse tempo todo.

Uma das coisas mais legais da vida é a forma como ela caprichosamente é imprevisível. Entenda comigo partindo princípio de que é impossível prever o amanhã. Se você não estiver conseguindo entender isso, concorde que está querendo demais. Não é você que espera a vida, ela que te espera. O caminho não vem até você, é você quem vai até ele.

Pense comigo sobre todo o sentimento que você chamou de saudade nesses últimos 12 meses. Aquelas cenas voltavam para a sua vida com se a pessoa ainda estivesse lá, os mesmos gostos, o som da risada, a ligação de boa noite, a mensagem de “oi”, a surpresa, a soma de vocês dois aí na sua cabeça, a dita perfeição, tudo era maravilhoso e isso tudo virou só saudade. Posso imaginar que houve vezes em que você se sentiu dentro da mais completa incapacidade de saber lidar com a saudade. E olha que interessante, nasce aqui uma analogia entre incapacidade e saudade. Vai ver você nem foi assim tão incapaz, mas você se sentiu assim, o que é muito pior. Isso pode ter acontecido por diversos fatores. Você pode ter se sentido frágil demais ao ver uma fotografia na internet daquela pessoa que não está mais em sua vida, por ter sentido aquele perfume de novo em qualquer lugar, por ter ouvido o nome, por passar perto de onde mora, por reler e-mails, por não apagar mensagens de texto, enfim, e aí você, em tese, se viu incapaz de saber falar qualquer palavra que fosse, pasme, qualquer palavra CAPAZ de influenciar em seus acontecimentos com essa pessoa. Parece confuso? Explico: Se o teu caso é esse, de certa maneira foi você que abriu mão do que tinha nas próprias mãos. Pior que perder é deixar perder.
E se não foi bem assim, na receita da vida a saudade é dos mais importantes ingredientes.

Ainda está comigo aqui em cada palavra? Mesmo que não esteja fazendo sentido para a sua vida até agora? Que bom, fico feliz! É importante saber de histórias que não está vivendo para que possa ter ideia de como é, para então, caso passe por isso, já saber, inicialmente, como lidar com os fatos.

Voltando lá para aquela análise a qual espero que você tenha feito – caso contrário, favor clicar no x vermelho no canto superior direito desta página -, talvez seu último ano tenha se resumido em tentativas em vão, desapontamentos, decepções – redundância, é nóis -, mágoas e tudo que envolver algo que não seja bom, tudo que for triste. Aí você para pra pensar nas vezes em que repetiu “De novo comigo? Por quê só comigo? Será que eu sou tão ruim assim? Está todo mundo por aí tendo uma história legal e eu só encontro gente que não presta, ou gente que só quer se aproveitar de mim, que saco!” Não precisa ser essas palavras, mas com essas ideias, consegue lembrar de quantas vezes se repetiu isso? Imagino. Sabe o que acontece? Eu não sei, mas será que você não se cobra demais! A sua ansiedade em viver algo igual nos seriados americanos é tão grande que acaba te atrapalhando de viver um simples capítulo, imagina então uma série toda. Claro, vou ser justo, existe mesmo muita gente fdp nesse mundo, que brinca com o que as pessoas sentem, que são desonestas e que também são ótimas na arte de interpretar o que parece ser. Tipo, “é claro que eu gosto de você!” e no fim essa afirmação cair por terra sem ter 1% de verdade.
Olha, não há motivo para tristeza! Ainda não deu certo, mas isso é só uma questão de “ainda”, e não de “pra sempre”, sabe? Entendo que rola aquele lance “poxa, mas eu quero sair de mão dada na rua, quero comprar aliança, quero fazer planos, viagens, quero comprar presentes, quero mudar status do facebook” e etc, faz todo sentido pensar assim e aliás é muito bonito! Só que nem todas as pessoas pensam igual. Tem gente que só quer o mais que famoso ~um lance~. E é uma merda, né? Quando a gente já se vê envolvido na história e de uma hora pra outra o ouvido é obrigado a receber o tal do “desculpa, não rola mais!” ou coisa que o valha. Veja bem, isso é normal. A tua dor não é a pior de todas, tua solidão, tua ansiedade, tua vontade, desejo, enfim, tua vida nunca é a pior. Entenda que é só uma fase, independente de quanto tempo esteja durando, é só uma fase, tipo aquela regra de redação que aprendemos na escolha com “começo, meio e fim”. Se pintar um lance, vive esse danado! Esse mesmo lance pode se transformar, lembra ali em cima da parte da vida ser imprevisível? Então!

E  você?
E você que esperou tanto pelo dia de hoje? E você que vai comemorar pela primeira vez? Ou pela segunda? Ou vigésima, que seja! O exercício também se aplica a você aí. Reflita sobre como tem lidado com essa história toda. Esse é um ótimo momento para colocar as coisas no lugar. Sem a outra pessoa saber, tem que ser por você, sabe? Você precisa ser uma pessoa boa para merecer uma pessoa boa. Como tem sido a sua relação? É tão perfeita que realmente não há o que melhorar? Sempre há. É tão ruim que não dê para reverter? Sempre dá. Só que ninguém vai bater na sua porta e dizer: “Oi, vim inspecionar a sua relação e fazer um check-up”, entende? É você que tem que fazer alguma coisa pra melhorar ainda mais, ou pra resolver qualquer crise. Você tem que acreditar no teu sentimento, em como se doa à essa pessoa, em como está te fazendo bem viver algo legal ao lado dela, você trilha o teu destino.

Ninguém é isento do julgamento de um coração vivo.

Ainda estão aqui comigo nisso tudo? Conseguiram pensar um pouco? A proposta aqui é levar vocês até o céu sem saírem do lugar. Lá no alto, no mesmo céu azul que eventualmente se escurece e fica o mais assustador possível, mas não deixando de ser céu. O coração é tipo o céu. Só que não. Sério agora, rs, o coração é um céu vermelho e o céu é um coração azul. Independentes e controladores, o coração manda em você e o céu manda em todo o resto. Um tem que ser aliado do outro, e perceba, você pode transitar nos dois mundos, isso é especial!

A saudade, a dor e o amor é o que te mantém aí com vida. Esses, e outros, sentimentos precisam ser vividos, de certa maneira todos precisam de atenção pois cada um deles exerce papel preponderante nos seus dias.
Não esquece.

Para os casais, Feliz Dia Dos Namorados! E espero que façam o dia de hoje ser diferente! E que esse pensamento permaneça no dia 13, 14, 15, etc, todos os dias!
Para os ainda não casais, Feliz 12 de Junho, estejam prontos para a vida celebrando todos os dias!

Sabe aquilo lá do melhor?
Então, ele está por vir, está chegando!
Cada coisa a seu tempo!

Um Travesseiro Para Dois <3
Com amor,
Márcio.

Anúncios

5 respostas em “Continue Fazendo Sua Parte Que A Vida Faz A Dela

  1. Acho que eu nunca cheguei a comentar aqui, apesar de ler todos os texto e até receber notificaçao por e-mail quando você posta um texto novo… Mas dessa vez eu senti que precisava comentar, porque você sempre diz verdades e me faz refletir sobre tudo, mas hoje mais do que qualquer outro dia você me disse o que eu precisava ouvir/ler, estou em um dilema enorme, uma mistura de sentimentos, e o texto de hoje me ajudou de alguma forma a me organizar, por isso muito obrigada.

  2. Essa sua comparação do céu me fez rir entre as lágrimas lendo essa publicação. Falando em 12 meses, todas as vezes nesses 12 meses que me deparei no desespero de não conseguir fazer mais NADA pra que tudo desse certo, eu iaa aqui na sacada do meu apartamento e olhava pra lua. As vezes escondidinha na nuvem, outras brilhando. E ali eu caia em choro tentando me livrar de certa dor… Ontem, foi exatamente assim, a meia noite já tinha virado, li coisas que não foram ditas pra mim e passou um filme na minha cabeça me fazendo lembrar quanto tempo eu to nisso… Enfim! Mais uma vez me vi desesperada e fui para o mesmo lugar, ao chegar na sacada eu não conseguia ver a lua. A noite estava MUITO nublada. Eu não enxergava os prédios das próximas 5 ruas, não via nada além da rua de baixo. O céu estava ‘manchado’! Embora a lua e as estrelas estivessem alí, eu não consiguia enxergá-las…”. Independentes e controladores, o coração manda em você e o céu manda em todo o resto. ”… Nem tenho nem mais o que dizer. Sensacional, Márcio!!! Muito bom!

  3. Ahh, vc e seus textos encantadores!
    Me fez refletir sobre meus últimos 12 meses, como muitas coisas mudaram para melhor, outras nem tanto, mas enfim, um dia depois do outro e a gnt vai crescendo, evoluindo, se descobrindo.
    Me fez ver que não adianta ficarmos nos cobrando demais, o que eh nossos guardado só esperando a hora certa de acontecer. Estava me sentindo um pouco “sei lá” hoje e o texto me ajudou a dar um “up” na vida!
    Bjs Má!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s