No Fim, Eu Que Agradeço

Hoje eu mando ir à merda todos quem dizem que eu não me esforço pra te esquecer. Ou melhor, hoje eu nem conto mais pra ninguém quando lembro de você.
Aprendi a aceitar que as coisas não vão mudar só porque eu quero, elas vão mudar na hora certa, na hora que for a melhor pra mim, mas claro, eu preciso querer que elas mudem também. Então, é um exercício: de um lado sou eu querendo que as coisas mudem, de outro é a vida esperando a hora certa pra mudar as coisas.
Dentro da dor que eu já vivi, aprendi também que jamais posso esperar alguma coisa das pessoas, não posso contar com a atitude de ninguém, não posso considerar que farão por mim o que eu faria por elas. Olha, isso, definitivamente, eu aprendi.

Só não aprendi ainda a te esquecer.
Você vive dentro de mim e de todas as coisas que eu faço. É a primeira referência que eu tenho quando lembro de algo feliz que vivi, porque em quase todas as melhores coisas que já vivi até hoje, você estava por perto, assimilando com um sorriso de “estou feliz por você!”, o que pra mim, sempre foi o bastante!
Encontrei um meio de te manter em vida dentro de mim sem que me fizesse sentir dor. Agora te guardo ao lado das memórias boas que eu tenho da minha vida inteira, desde criança. Entendi que quanto mais eu queria te esquecer, menos eu conseguia. Quanto mais eu queria que você sumisse, mais eu te via.

Sabe porque eu mudei meu jeito de pensar?
Porque eu entendi que quem perdeu depois de tudo que aconteceu, não fui eu, foi você. Vivi o inferno dentro de mim, me consumindo devagar e dolorosamente no desespero em encontrar respostas sobre o que eu fiz de errado pra você fazer o que fez comigo. Ah, eu perdi tanto tempo…
Aí eu virei o disco e comecei a ver as coisas de outra forma. Sem aquela história de “tinha que ser assim”, eu só encontrei uma maneira de sorrir com sinceridade toda vez que eu lembrasse de você, sabe? Parece confuso, mas é muito claro.
Você me fez sofrer mais do que ninguém nessa vida, eu tinha todos os motivos para querer que você se exploda, mas eu não sou essa pessoa, e então, comecei a entender que na verdade eu sinto dó de você. Toda cheia da razão, toda certa do que é viver, acaba vivendo cega uma mentira sem saber onde pisar e quem contar, e eu tentei, eu tentei muito ser quem pudesse te estender a mão e te falar “estou aqui, não se preocupe”, só que você não quis, então ok.
Depois que eu comecei a valorizar todo o meu esforço por você eu comecei a entender a pessoa maravilhosa que eu sou e tudo que eu mereço, e dentro de tudo de bom que eu mereço, você não faz parte.

Por isso que eu falo que mando ir à merda todos que dizem que eu não me esforço pra te esquecer, porque ninguém sabe o que eu vivo, como eu vivo, o que eu passo todos dias e todas as coisas que eu penso. Cansei das amizades de conveniência. Cansei do dedo na cara e do julgamento de “você não quer esquecer”. Gente cretina e idiota! Vão lá viver a vida perfeita de vocês, recheada de falsidade e coração gelado. Eu não vou dizer nada.

Então assim, eu vou te levar comigo pra sempre. Tolice minha seria te deletar, perdendo também todas as coisas boas que a gente viveu, em especial todas as lições que aprendi com a gente.
Já não falo em te querer de volta, aqui eu falo sobre como foi bom ter você um dia.

Aqui eu falo sobre como eu sou melhor depois de você e em como tem alguém melhor ainda me esperando.

Anúncios

4 respostas em “No Fim, Eu Que Agradeço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s