Meu Desafio é Conviver Comigo Mesmo

Não há reza que mude quem e o que eu sou.
Embora eu gostaria de ser diferente, não adianta, eu não posso fazer nada pra isso. Só se eu nascesse de novo.
É triste porque eu me vejo diferente demais de muitas outras pessoas, diferente das pessoas que você parece gostar. Eu não me encaixo no perfil que te chama atenção, eu não conheço as músicas que você mais gosta, não li os livros que já leu, tampouco vi os filmes da sua vida, e muito, muito menos tenho o corpo que você admira.

E se o problema fosse eu não me encaixar no seu perfil até tudo bem, mas não, na verdade eu me sinto bem abaixo da média de todas as outras pessoas. Não consigo me sentir atraente, sinto vergonha e costumo recusar elogios que recebo. Não sei pelo que você se interessaria em mim. O problema está em mim.

Aquele discurso de que “o que importa é o que você é” eu já sei décor. “Beleza interior” também já cansei de ouvir. E não foi uma ou duas vezes, foi uma centena delas. Mas sabe, é difícil, é bem difícil.

Tenho defesas por coisas que nem são ameaças pra mim. Se alguém me olha no metrô, instantaneamente eu acho que é algo em mim que está errado; minha roupa suja, meu sorriso com resto de almoço, qualquer coisa do tipo.
Eu não admito ser um motivo para ser admirado.
E também não preciso ouvir de ninguém que isso não é algo bom de se pensar. Como eu disse, gostaria de ser diferente, mas já não tenho tempo pra isso e o que tem feito é aprender a conviver com quem eu sou.

Gostaria de ser efetivamente especial na sua vida. Mais do que te convencer, gostaria de me convencer que sou importante. Gostaria de ser um motivo de orgulho, gostaria de ver um sorriso sincero no seu rosto se um dia a gente andasse pelas ruas. Mas tudo o que eu consigo ter certeza é de que eu não sou como as pessoas esperam. Não sou como você espera.

Vejo nas ruas um monte de gente que vive sem a menor possibilidade de ter sua imagem contestada. Pessoas que se garantem. Garotas que são charmosas ao fazerem um rabo de cavalo e garotos estilosos que se fazem presente, enquanto isso eu me vejo sendo só mais uma pessoa entre todas desse mundo.

Não é fácil.
Guardarei pra sempre o dia que alguém me convencer de que isso tudo é bobagem, porque eu simplesmente não aguento mais. Eu não aguento mais te ver curtindo foto de pessoas bonitas, não aguento mais ver as pessoas bonitas postando fotos, enquanto no meu caso a cada 10 fotos 1 é minha.

Talvez uma saída pra mim nessa história toda em que te incluí seja te deixar partir. Você é incrível, possui uma beleza estonteante e não merece nada menos que alguém à sua altura, alguém para se orgulhar ao apresentar ou mostrar fotos aos amigos, alguém para a sua família ficar feliz, alguém para você carregar uma foto 3×4 junto com todos os seus passos.

Eu me esforcei tanto pra chamar a sua atenção. Comprei as mesmas roupas que aquelas pessoas usavam nas fotos que você curtiu, comecei a falar sobre os mesmos assuntos, tentei me enquadrar, tentei me garantir perto de você. Tentei tanto.

Eu não queria ter cortado o meu cabelo, mas uma vez você disse que gostava desse estilo, fui lá e fiz. Eu não acho que eu precisava de academia, mas você elogiou as pessoas que cuidam do corpo e eu me inscrevi pra cuidar do meu também. Eu nunca soube inglês igual a você, mas me inscrevi num curso pra aprender a falar o nome das bandas que você gosta. Foi muito esforço.

Tem horas que a gente deve reconhecer que não dá mais pra insistir.

E não pense que eu sofro pensando tudo isso, já aceitei o jeito que eu sou e até a onde eu posso ir. Já descartei a possibilidade de te impressionar, já considerei a possibilidade de viver aqui vendo meus seriados favoritos esperando algum convite pra fazer algo legal.

Conclusão: não tenho nenhum diferencial e nada pra te oferecer a não ser quem eu sou.
Só que eu preciso pensar com calma, preciso ter certeza que a minha hora chegou, acho que preciso definir sem ninguém quando vai ser o momento de ter alguém. Eu preciso gostar de mim para que alguém possa gostar.

Na pior das hipóteses, pelo menos eu tenho tentado.
Eu juro que tenho tentado.

Ontem mesmo retribuí um sorriso que ganhei no ônibus com outro sorriso. Já me senti especial.

 

 

 

 

Mas ó, eu vou gostar se você me aceitar assim como eu sou.

Anúncios

Uma resposta em “Meu Desafio é Conviver Comigo Mesmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s