Das Vezes Que Te Ouvir Bater, Coração

Leia ouvindo:

 

Entendo se você é do tipo de pessoa que quando está perto do mês acabar sempre pensa em tudo que pode acontecer no mês seguinte. Fica olhando o calendário, pintando o dia de receber o salário se programando para todas as coisas que eu quer fazer. E o mesmo, claro, funciona quando um ano novo está para começar, né?
É tão gostoso, a gente se deixa  levar pela atmosfera que toma conta do mundo e é legal quando conseguimos canalizar nossas energias em sentimentos bons, dos que eu queremos dividir com alguém especial, com nossos amigos e nossa família.

Fim de ano serve para dar fim à algumas coisas.

Acho válido o exercício de dar uma parada pra pensar em tudo que aconteceu ao longo dos últimos 12 meses. É claro que não é algo tão gostoso de se fazer, mas vale recordar das vezes que choramos, das pessoas que nos fizeram chorar, das vezes que sorrimos e dos motivos que nos fizeram sorrir. Também é legal lembrar das coisas que eu queríamos comprar e das que finalmente compramos – são nossas realizações!, das noites em que saímos de casa e das que ficamos em casa esperando um convite ou aproveitando um DVD diferente.

Se as coisas não saíram como gostaria, veja de um modo que te faça um efeito especial. Sempre dá pra ver diferente e tirar proveito de alguma maneira.

Lembra das vezes que teu coração acelerou? Sabe aquela vez nesse ano que você começou a pensar demais nessa pessoa que está vindo à sua mente agora, começou a pensar tanto que a via nos reflexos do vidro no ônibus ou no metrô, a via nos refrões que nem conhecia pois os que conhecia, é claro, essa pessoa passou a morar lá. Lembra dessa fase? Não do que aconteceu depois, mas desse encantinho… Faz bem.

Nossa vida é feita de tentativas. Uma vida que não se tenta, não se aproveita.

E vez ou outra, claro, as coisas não acontecem como prevemos. Talvez nesse seu ano teve alguém que te confessou amor e que de uma hora pra outra você viu confessando o mesmo à outra pessoa. Vai ver aconteceu com você de ouvir de alguém que você é uma pessoa perfeita demais, que ela não consegue te recompensar, que você é tudo que sempre sonharam… E mesmo assim a pessoa preferiu partir. Ou talvez você tenha vivido algo parecido em querer se confessar pra alguém e simplesmente não conseguir, simplesmente se bloquear diante de tanto sentimento bom que deseja compartilhar, você simplesmente não conseguiu falar uma palavra de todas que representariam teu sentimento e aí você se sentiu um lixo e esbravejou pelos cantos da casa: “Vida injusta!”, “Sou uma pessoa que mereço morrer sem ninguém!”, “Ninguém presta nesse mundo!”, “Amor é uma bosta!” até o coração acelerar de novo na hora que, teoricamente, você menos precisava, né?

É que como já falamos aqui outrora, a vida te dá o que você precisa e não o que você quer.

Faz parte da gente não aceitar as coisas ruins. Queremos arco-íris sempre e não o cinza, só que mal sabemos que também há romance nos dias cinzas. Lembra do inverno? Quando tudo o que queremos é que os dias fiquem cada vez mais frios só pra gente poder passar horas abraçados, pedindo pra escada rolante demorar pra acabar, pro ônibus nunca passar, pra estação do metrô nunca chegar, pro filme demorar, pra noite se eternizar. Ou seja, o romance está onde queremos que esteja, seja num dia de verão na praia brincando de frescobol e passando protetor solar um no outro, ou na fumaça do chocolate quente em uma noite de sábado no inverno.

Páginas que escrevemos, são páginas que viramos. As outras nós rasgamos.

Como foi o seu esforço que deve ser infinito pelos melhores dias? A busca pelas mais especiais experiências nem que seja a mesma coisa feita todos os dias de formas diferentes? Lembra que o romance está onde você quer que ele esteja e não no que aparentemente está? Você lembra, eu sei.

Essa também é uma época de aspirações. É claro que não temos como prever o que vai acontecer ano que vem, se nem sabemos o que vai acontecer amanhã, o que dirá no próximo ano. Só que acabe a nós pensarmos nas coisas boas, sejam elas quais forem, não é necessariamente pedir para que aconteçam, mas mentalizar energia, sabedoria pra lidar com as surpresas, força pra respirar fundo quando for preciso dizer algo, sensibilidade pra reconhecer que também erramos, enfim, tanto eu quanto você sabemos quais são as coisas que esperamos do próximo ano.

E que tenha amor.
Pensa no amor, acredite no amor, defenda o amor, suspire amor. Não existem pessoas iguais nesse mundo, existem pessoas que se completam, que preenchem aqui e ali tudo o que não temos, que nos fazem rir de coisas que não riríamos, que nos fazem pensar em coisas que não pensaríamos. E isso é amor. E ele está em todos os lugares e pode acontecer a qualquer momento em qualquer dia de todos do seu calendário e em qualquer lugar que seus pisem ou que suas palavras cheguem.

O amor está sempre pronto para nos recepcionar.

E muito acontece por culpa da gente.
Vai ver aquela lágrima que derramou esse ano não teria acontecido se você tivesse se valorizado mais, vai ver ao longo desse ano você tenha desejado demais alguém que te ofereça algo que você não pode oferecer, quem sabe naquela vez se você tivesse falado o que sentia as coisas não seriam diferentes hoje? Talvez se você tivesse se respeitado não passaria por algumas coisas que passou.

Tem gente que simplesmente não merece a gente.
E nisso você pode acreditar.
É claro que insistimos no murro em ponta de faca porque há sentimento e ele é inexplicável, mas tem horas que nosso coração pede ajuda pro cérebro e a gente ignora. Você sabe quando isso acontece. Entendo, cada pessoa vê as horas do jeito que quer, cada uma sabe dos limites, sabe a hora de parar, de tentar. Nisso não há regra, não há quem diga que estamos errados, afinal, a vida que estamos colocando em jogo é apenas a nossa e os sorrisos e lágrimas que virem com ela serão só nossos. Mas algumas vezes a gente pode usar os olhos também pra enxergar, né?

Amor no dicionário possui uma definição poética, mas aquele que você sente só você sente. E não possui definição.

Anúncios

3 respostas em “Das Vezes Que Te Ouvir Bater, Coração

  1. Que texto sensacional em clima de final de ano. A música super combinou e me emocionei pensando em tudo que vivi e deixei de viver nesse ano.
    Que 2013 seja um ano de muito sucesso em tudo para todos nós .
    Feliz Ano Novo Má!!
    Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s