Se Melhorar Não Estraga Nada

Passei o dia pensando.
Pensando, pensando e pensando no jeito que eu sou com você, nas coisas coisas que falo e em tudo que eu poderia fazer. Pensei também em como você é pra mim, nas coisas que me fala, em tudo que já fez e pensei em tudo o que poderá fazer.
Foi importante pensar pra ver como eu não fiz nem a minha metade.

Está faltando a minha parte nessa história de reciprocidade.

E a culpa disso, claro, é exclusivamente minha. Construo argumentos que defendam o meu comportamento na tentativa de te justificar e te convencer que não é por mal que eu sou assim.

No entanto,
Algumas das piores coisas da vida não são feitas de propósito.

Eu não quero ter que te perder pra aprender.
Devo confessar que a minha mudança de pensamento se deu depois de eu observar como as pessoas lidam umas com as outras por aí, especialmente as pessoas que vivem algo com alguém.
Notei que falta uma pequena coisa de grande importância: carinho. E claro, automaticamente comecei a me comparar nessas situações.

Reparei em como uma mulher falava com o seu suposto namorado ao telefone. Presumi que fosse namorado pelo nível do tema e uma demonstração clara de ciúmes que deve estar gerando uma úlcera naquela mulher. Ela gritava que o rapaz era um “idiota”, um “imbecil”, que isso só poderia vir dele, que bem que ela tinha percebido que ele era tal tipo de gente e mais um porção de dedos na cara. Não entendi o que de fato estava acontecendo e nem se ela falava mesmo com um namorado, mas o fato é que independente da verdade dessa história, ela me trouxe uma lição: o que está mal, pode ficar ainda pior. E esse exemplo também se aplica a atitude dos homens, com todas as letras.

E aí então comecei a pensar.

Em uma outra ocasião, vivi exatamente o lado oposto do caso da mulher com úlcera.
Tem vezes que desligo a música dos fones e só os uso para diminuir o barulho da cidade. Em um dia desses, a oportunidade bateu a minha porta como se falasse: “Presta atenção nisso aqui!”
Era uma mulher ao telefone com um maravilhoso sorriso no rosto, falando suavemente. A cada palavra ela mexia no cabelo com certa timidez.
Cedia sua vez de fazer uma ou outra colocação, para ouvir mais. Pequenas Coisas.
Era uma mulher que gostava de ouvir.

As pessoas precisam ouvir. Mais.

Nas vezes que falou, reparei que os assuntos eram os mais triviais dos casais. Combinavam o cinema do feriado, qual filme assistir e onde jantar depois. Ela queria experimentar uma culinária diferente – ao que parece, eles fazem isso com frequência – e ele parecia concordar, visto que o semblante dela não mudava muito a ponto como seria no caso de uma negação.
Nesta situação, aprendi outra lição: o que é bom, pode ficar ainda melhor.

Lá no primeiro momento do aparente casal jogando tochas com chamas um no outro, era visível um desequilíbrio de sentimentos que nenhum “a gente é assim mesmo” suaviza. Ali, um dos principais pilares para uma história feliz estava sendo ignorado: o respeito.
Ninguém é obrigado a concordar sempre, mas não precisa fazer com que uma discórdia se transforme em um começo de 3ª guerra, ainda mais pelo telefone onde um suspiro, por exemplo, sofre de várias conotações.

Já na segunda ocasião, presenciei um baile de respeito, amor, carinho e cumplicidade. Era visível que o casal se dava muito bem. O tom de voz da mulher já demonstrava que as coisas estavam ótimas, que a preocupação era qual filme assistir. E nesse meio tempo, ela fazia um elogio aqui e ali comprovando o quando o parceiro é especial, e depois silenciava-se para ouvir, quem sabe, uma porção de elogios também.

As duas são situações completamente normais em que todos podem viver. Aplicando pra minha história, observei que nem só de sorriso se constroi se mantém uma relação, bem como um monte de reclamação não faz bem pra ninguém.

E aí, assim, a vida, do jeito dela, me jogou na cara as coisas que preciso te fazer ainda. A vontade me apareceu como uma missão: “Preciso mudar tudo, chega!” E é nisso que estou empenhado.

Não quero perder o seu jeito de me tirar os óculos quando acabo dormindo no meio do filme, tão menos a sua dedicação para a gente, sempre pensando em coisas boas, pesquisando viagens, me ajudando com parcelas de contas, sendo mais que uma companheira, sendo tudo que me faltava.

Por isso fiquei o dia pensando, porque preciso te valorizar ainda mais, preciso me lembrar do quando você faz a diferença nessa bagunça que é a minha vida.

Não é regra ter que fazer algo novo, já vale o de sempre melhorado.

Curta: http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois

Anúncios

2 respostas em “Se Melhorar Não Estraga Nada

  1. Tava tocando “À deriva – Seu Cuca” na minha playlist, ignorei a sua música (desculpa) e li ouvindo essa. Resultado: a música encaixou perfeitamente no texto, e o texto encaixou perfeitamente em mim. Lindeza!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s