Sozinho, Farei as Mesmas Coisas que Fizemos Juntos

Tudo bem se tem que ser assim.
Eu não vou tentar te explicar como vejo tudo isso. Eu cansei.

A gente precisa ter a grandeza de admitir quando a melhor saída é o fim, rasgar as datas comemorativas e os filmes assistidos.

É claro que eu não vou conseguir esquecer tão fácil, mas também, isso nem é algo que eu quero. Esse negócio de transformar o carinho em rancor não é comigo e até tenho certa dó das pessoas que fazem isso. Ninguém tem sangue de barata, eu sei, mas também não precisamos sair por aí cultivando exatamente as coisas que não queremos colher, isto é, eu não preciso te transformar em algo ruim na minha vida por mais que você já tenha me feito sofrer, por mais que eu ainda sofra depois de tudo. Dos momentos que a gente viveu eu prefiro levar os bons comigo.

Meu amigos me perguntam se eu sou real em pensar assim.
Explico que por mais estranho que pareça, sim, eu penso exatamente dessa maneira sobre essas cosias. A estranheza deles justifica a carência em pessoas que pensam assim, ou melhor, que tentam pensar e encarar de um jeito diferente, fora do convencional “Quero que você morra!”. No entanto, eu não acho isso algo impossível, não me considero melhor que ninguém, eu só tento – e não é fácil – escolher o caminho das boas lembranças e das lições a ter que pensar em tudo que deu errado.

De todas as coisas que a gente vive na vida, as boas são as que a gente menos lembra e deveriam ser as únicas à serem lembradas.

Lembramos do maior trânsito, da maior fossa, do chefe mais chato, da pior dor de cabeça. E parece tão difícil lembrar de quando não teve trânsito, de quando a gente superou, dos chefes mais legais e do dia que demos o melhor dos nossos sorrisos.

Ao buscar a vida perfeita a gente deixa a felicidade passar em frente os nossos olhos.
Mais do que na conquista, a felicidade está em como você você conquistou.

Esse discurso todo soa bonito demais. Sendo assim, a verdade é que eu também desejo muito que você colha tudo que tenha plantado, desejo com todas as minhas forças que você encontre alguém que te teste, que aponte seus defeitos, que te mostre que nem sempre tem razão. Eu torço para que as coisas deem certo pra você exatamente como você faz dar certo para as outras pessoas na sua vida. A consciência é de cada um.

Só que na sua frente eu não choro mais.
Notícias minhas você não terá.

Não se trata de fuga ou covardia, se trata de respeito. Preciso de um tempo pra entender as coisas e pra relacionar que o que eu tinha até um mês atrás, não vou ter amanhã. Preciso de um tempo pra aprender a escolher os filmes sem ninguém, pra poder desassociar os cheiros à você, preciso de um tempo pra me ocupar com outras coisas.

O tempo ensina a gente a amar sozinho tudo o que já amamos com alguém.

Por mais que não faça sentido para ninguém, eu não te quero mal. Estou me esforçando ao máximo para preservar as nossas boas lembranças, pois elas são as histórias que eu quero contar à meus filhos um dia. “Olha só filho, eu já vim aqui antes, faz um tempão atrás e foi muito legal!”. É o tipo de coisa que eu quero viver um dia.

A gente lembra mais da lágrima que do riso.

É natural, o mundo conspira pra acontecer isso. Ainda mais em um mundo onde a felicidade está diretamente relacionada ao fato de ter alguém. Nos é condicionado como vida ideal aquela que se tem alguém ao lado, algo que até concordo, no entanto, a vida pode ser tão boa quanto, sem a necessidade de alguém. O mundo é esse sofrimento porque a gente esquece que antes de fazer bem à alguém, devemos fazer bem à nós mesmos. E de boas intenções nós sabemos qual lugar está cheio.

Só que eu estou tentando ir na contramão.
O único sentimento que combate a dor é a iniciativa, e dela, nasce a superação.
Por isso, bem aos poucos, estou tentando atravessar tudo isso de um jeito que não me abale tanto, de um jeito que me faça mais bem do que mal, de um jeito que mais do que você pra mim, que faça eu me sentir especial.

Não vai ser fácil, mas por falta de tentativa é que eu não vou morrer nessa vida.

#CURTA: http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois

Anúncios

Uma resposta em “Sozinho, Farei as Mesmas Coisas que Fizemos Juntos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s