Amanhã a Gente Vê o Que Fazer

Apesar de já fazer tanto tempo, vou te dizer que nunca perdi aquela danada de esperança, sabe?
É claro que eu não teria como prever nada, e sabendo disso, também não poderia deixar de viver em função de uma coisa que nem existia na prática. Embora já existisse pra mim.
Eu sou meio objetivo e gosto de deixar claro logo de primeira as minhas intenções, em prol apenas dos melhores momentos que podem acontecer. No entanto, entenda, consigo controlar minha ansiedade, e você sabe, se isso fosse mentira eu já teria tomado uma atitude mais drástica a muito tempo.

A noite anterior ao mais lindo nascer do sol também é um motivo para celebrar.
Eu nunca vi o céu estrelado de dia.

No começo foi meio engraçado, lembra?
É que como eu disse, comigo não tem essa de entrelinhas, tratei de ser direto ao distribuir uns elogios pra você aqui e ali. Pelo menos eu acho que consegui ser direto. Sentia vontade de falar, eu falava.
Aí as coisas foram tomando um outro rumo. A nossa distância não deixou que novos passos pudessem ser dados da maneira que eu sempre imaginei, mas ao contrário de diminuir, isso só aumentou meu carinho por você e cada dia mais eu ficava entusiasmado em te ver pessoalmente, em saber como você é, sentir teu cheiro e ouvir o som da sua risada.

“Se contentar” e “se conformar” com o pouco, são coisas diferentes.

Por isso eu sempre fui feliz, mas algo me dizia que seria ainda mais, sei lá quando.
O tempo foi meio implacável com a gente e fez o nosso mundo dar uma porção de voltas. Com o passar dos meses ficou mais difícil da gente se falar como antes, a vida corrida, trabalho, estudos, enfim, tudo foi agravante pra gente conseguir manter o que tínhamos. Ou melhor, o que nem tínhamos de fato. Olha eu me engolindo com as palavras.
Só que o engraçado é que quanto mais tempo a gente ficava sem se falar, mais próximos a gente ficava quando conversávamos novamente. E eu sempre achei isso muito legal!

Bom mesmo é quando bate a certeza de que queremos algo a mais.

Durante as nossas conversas eu sempre torci o nariz para muitas das suas novidades. É ué, esse negócio de falar de quem você beijou, com quem estava saindo e etc, sempre foi a pior parte da nossa conversa. No entanto, era algo que eu não podia demonstrar né, até por quê, a gente não tinha absolutamente nada. Mas era natural.
Eu sempre gostei mesmo é de ouvir você falar sobre as suas coisas, planos e desejos, e sempre gostei mais ainda de poder te falar cada uma das minhas ideias meio loucas.

O tempo é certeiro em reservar os melhores momentos.

Você mudou tanto!
Se eu traçar um paralelo dos primeiros dias que falei com você até esses últimos dias, vou chegar a conclusão de que são duas pessoas diferentes. E o mais louco é pensar que mesmo você sendo “duas pessoas” tudo o que conseguiu de mim foi dobrar o meu carinho.
É, eu também mudei um bocado.
Paro pra pensar em algumas coisas que te falava e acho que se fosse hoje eu falaria um pouco diferente, sei lá como, talvez um pouco mais discreto, mas não menos direto.
Posso falar que a gente se viu crescer, apesar de nunca termos nos visto. E o que seria de nós se não fosse a internet com suas transmissões em vídeo pra eu poder ver como era seu rosto de verdade, né?

Chega uma hora que a gente começa a pensar menos e viver mais.

E isso não é exatamente imprudência, me refiro ao pensar menos sobre planejar demais, falar demais, gastar demais, perder tempo demais, e em tudo isso, aproveitar de menos. Foi pensando nisso que eu cansei e resolvi mudar.
Lembra daquelas minhas ideias loucas? Bem, me deu na telha que eu tinha que te ver. Comecei a me organizar e estudar possibilidades. Num primeiro momento parecia que não era pra dar certo, pois tudo que eu planejava empacava na dependência de outras pessoas, até que eu decidi remar sozinho.
Esperei por tanto tempo pra ter alguns dias dos mais de trezentos do ano só pra mim. Isso, férias. Esperei tanto que seria justo aproveitar de um jeito que eu lembrasse pra sempre.

Se eu fosse um pouco menos louco eu seria muito menos feliz hoje.

Peguei minha mochila e caí nesse mundo pra ver como que ele é. No meu plano de viagem a última escala seria com você e isso sempre me esfriou a barriga. Passei por lugares incríveis, conheci pessoas mais incríveis ainda, e claro, vivi mais experiências para colecionar.

Havia chegado o grande dia.
Desci na cidade pensando: e agora? HAHAHA, que engraçado, lembro e me divirto.
Estava tranquilo, embora ansioso.
Até que a gente se encontrou.
Pela primeira vez.
Depois de anos.
E milhões de horas de conversa.
Ainda não processei tudo, mas consigo lembrar de uma felicidade inédita que senti quando o seu abraço me encontrou.
Você se provou ainda mais incrível do que eu imaginava! E pra minha surpresa, estava de fato ainda mais linda do que eu pensava que era! Que negócio louco!

Os olhos denunciam tudo que o coração e as palavras tentam esconder.

Quando a gente saiu pra comer foi incrível. Começamos a falar sobre muitas daquelas tantas coisas que já havíamos conversado virtualmente durante todos esses anos, e o louco é que tudo parecia novidade, tudo tinha um sabor especial. Eu até posso estar enganado, mas fiquei feliz em ter a impressão de te ver super animada ouvindo sobre a minha vida, as coisas que gosto e os amigos que tenho. Eu não queria sair dali nunca mais!

A melhor parte da dificuldade é quando a gente encontra a possibilidade.

Tentei.
Tentei te beijar. Não sei se me achou precipitado, se não estava no clima ou se sequer tinha cogitado algo assim comigo, mas acontece que eu tive vontade de fazer e não consigo viver sem fazer as coisas que eu sinto.
Você, delicadamente, recusou.
Voltamos a falar sobre os nossos milhares de assuntos como se nada tivesse acontecido. Essa vida é realmente louca.

Quando saímos no outro dia eu já fui muito mais contido. Me preocupei em não te pressionar, mas é complicado conseguir isso quando a vontade é grande e seduz.
Então quando eu vi a brecha que eu precisava, tentei de novo.

E consegui.

Dava pra te sentir relutante, talvez pela magia disso tudo, talvez pelo inesperado, talvez por ter “me conhecido pessoalmente” há pouco, ou talvez por tudo isso junto, vai saber. Mas deixei claro que eu não queria te fazer de qualquer e então você, inteligente, se permitiu. Devo te falar que foi um dos momentos mais incríveis da minha vida.

Fraqueza é deixar que um sentimento bom atrapalhe todos os outros.

Me preocupei em como nos trataríamos depois. Sei lá, foi um momento bastante intenso e não queria criar climão.
E então você novamente fez o que melhor sabe: me surpreender.
Parece que o que aconteceu melhorou tudo ainda mais! Pelo menos por enquanto; pelo menos o ‘por enquanto’ é o que importa.

Na sede de ter o amanhã a gente esquece de saborear o hoje.

Nada mudou. E se eu tiver que falar mudou algo, só consigo pensar que mudou pra melhor!
Apesar de já fazer tanto tempo, vou te dizer que nunca perdi aquela danada de esperança, sabe?
É claro que eu não tenho como prever nada sobre como vai ser pra gente agora, mas só de ter comprovado que os sonhos podem ser reais, tudo já valeu a pena.

Tudo já valeu a pena.

Texto especial inspirado em uma história real.

CURTA: http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s