Agora Vamos Falar de Coisa Boa?

Olha, devo te dizer que pensei que seria difícil, mas não tanto quanto realmente foi.
Esse negócio de ter que virar a página não é o que a gente pode chamar de algo fácil. E tudo fica ainda pior quando aparece um monte de gente falando o que a gente deve ou não fazer, tipo, um monte de gente se achando dono da verdade. É, não é mole não.

É exatamente na dificuldade que a gente encontra a possibilidade.

Explico.
Pra quem, como eu, chegou a pensar que a saída seria mudar de casa, de país, de planeta, sei lá, pra saber se ia conseguir ter de volta bons dias de paz, até que consegui superar com certa velocidade.

É na dor que a gente sente que mora a força da superação.

Então dá pra pensar que: sofrer faz bem.
Que loucura, né? É. É mesmo.
É que a dor rima com amor, que por isso, se faz justo que façamos da dor alguma lição pra fazer a gente sentir amor de novo. Para pra pensar: até que faz sentido.

Por isso eu te larguei.
É, eu te deixei, de uma vez por todas.
E o quanto eu venho tentando fazer isso…
Essa vida de ser refém da saudade não tá com nada e nunca me trouxe nada mais que um monte de lembrança que eu quero esquecer.

Depois que comecei a pensar assim, comecei a entender melhor.
Vou te falar que até sinto uma raiva de mim, sabe?
É que eu me dediquei igual idiota muito pensando nessas de “quem sabe agora”, “vou fazer melhor”, “vou fazer os gostos” e etc, sem perceber que eu até poderia fazer bem pra você, mas no fim das contas jamais estaria fazendo bem a mim mesmo.

Se o tapa não arder a lição não foi aprendida.

Eu nunca ouvi falar de alguém que tenha superado sorrindo.
Eu tive que comer o tal do pão que o diabo amassou pra poder chegar aqui e ter grandeza pra te dizer: quero que se exploda.
Entenda, eu realmente não te desejo mal, não desejo mal pra ninguém nesse mundo, só que aconteça o que acontecer com você eu realmente não quero estar perto pra presenciar.

E quer saber? Eu não me arrependo, na verdade, nem chego perto de pensar nisso.
Vou te dizer a diferença entre nós dois: eu nunca menti ao te dizer o que eu sentia, já você, você sempre fez questão de tudo, menos de me dar alguma segurança sobre o que a gente vivia. E do contrário, pensava que uma noite de sexo me compraria.

Agora deu.
Pra quem vê de fora pode até parecer um exagero me ver falando desse jeito, mas sabe o que eu penso dessas pessoas? Que elas se explodam juntinho de você <3, pois ninguém estava no meu lugar pra sentir o que só eu sei que senti com o jeito que você me tratava, com as coisas que me falava e em como vinha com discurso de “confia em mim” que eu sempre acreditei. Então, eu estou me lixando para o que pensam sobre mim.

Não precisa fazer esforço pra me esquecer, pois quem não consegue lembrar de você sou eu.

É uma pena, sério, uma pena.
Fico triste em ter um sentimento bom transformado em algo absolutamente ridículo. Em outras palavras, fico mal por um dia ter te falado tudo o que te falei e hoje sentir nojo do que você se tornou. Ou do que você sempre foi, vai saber.

As coisas não andam tão bem assim pra mim ainda.
Eu ainda demoro um pouco pra dormir e acordo num horário que eu não gostaria; vez ou outra te encontro nos perfumes de alguém no metrô e nos refrões de algumas músicas, só que isso tudo faz parte, né?

Você vai me ver em todos os lugares que tentar me esconder.

Estarei exatamente lá: no beijo que te fará lembrar de mim e na risada gostosa de se ouvir.

Deixa eu te falar uma coisa.
Tem um negócio nessa nossa vida que se chama: reciprocidade. Essa palavra bonita significa algo do tipo: fazer aqui, receber ali. E isso é aplicado em tudo. Vai ver ninguém tenha te apresentado essa palavra ainda, – e aliás, pelo menos comigo você raramente entendeu – mas funciona assim: o destino também é recíproco com a gente. Apesar da gente não ter controle sobre ele, nós somos responsáveis pelas escolhas que fazemos para viver este destino. Parando de filosofar, o que eu quero dizer é que você vai receber c-a-d-a segundo que me faz passar, dos bons até os, digamos, horrorosos.

Não é questão de fazer algo pensando em algo em troca, mas sim, de fazer algo exatamente do jeito que gostariam que fizessem com a gente.

Eu não quero estar ao seu lado pra ver nada.
Eu não quero saber de nada sobre a sua vida. Sobre a sua família, eu desejo o bem.

Pode acontecer que tudo mude, é verdade.
Você pode aparecer amanhã com um monte de argumento pra tentar me convencer que a gente pode tentar de novo, você pode aparecer com a roupa que eu mais gosto, pode aparecer com os convites mais irrecusáveis, mas entenda, eu já não consigo nem ouvir seu nome.
Você pode querer voltar.
O tempo vai passar e com ele você “pensar melhor” e finalmente rever todas as merdas que me disse e o quanto isso me fez mal, mas sabe o quanto isso vai adiantar? DE NADA.

Entenda que não sou extremista a ponto de dizer que dessa água nunca beberei, mas estamos falando aqui sobre amor-próprio, sobre ter alguém que realmente mereça o que a gente sente, sobre como é bom poder dizer que há sinceridade e comprometimento.

Em tudo isso aqui, desde o começo, estamos falando sobre coisa boa, não sobre você.

CURTA: http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois <3

Anúncios

6 respostas em “Agora Vamos Falar de Coisa Boa?

  1. Sábias palavras!!! As pessoas ignoram os sentimentos e distorcem a ideia do amor que dizem ter. Confiamos nas pessoas e damos o nosso melhor, só que não é recíproco. As saudades é algo difícil de lidar, porém não vale a pena voltar para alguém que não valoriza a pessoa que está ao lado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s