Como Se Você Não Soubesse Dessa Merda Toda

Ninguém tem que te entender.
Você não tem que fazer sentido pra ninguém, nem pra você mesmo.
Tem gente que gosta de te dizer o que fazer mas nem eles sabem o que fazer na vez deles. Eles só querem tumultuar.
As pessoas dizem que você se apega rápido demais como se você não soubesse. Seus amigos dizem que você não tenta esquecer como se você não tentasse. E tratam de te considerar uma pessoa depressiva por postar na internet alguma música com refrão mais verdadeiro.

Ser verdadeiro só incomoda as pessoas que não conseguem ser.

Para essas pessoas o que importa mesmo é manter as aparências. É fingir que está tudo legal, que os problemas não existem e que os motivos pra chorar são exclusivamente os episódios tristes das novelas.

Tem gente que diz que você procura demais.
Engraçado que essas pessoas vivem falando do que gostam, de como gostam, de como não gostam, enfim, sempre vivem criando um modelo que elas julgam ideal. Mas elas não se enxergam. Ninguém senta ao seu lado pra te perguntar o que acontece, e quando sentam, falam como se tudo fosse algo muito simples de resolver e quem faz drama na história é você.

É assim que a gente vive.
As pessoas vivem nem tanto querendo ajudar as outras, mas muito mais querendo jogar na cara o quanto sabem mais que as outras. São coisas diferentes.
Te faz bem ouvir uma experiência alheia, um ponto de vista de quem já viveu algo parecido, mas faz muito mal ouvir o que temos que fazer, se devemos correr atrás ou largar de mão, se devemos mandar ou não aquela mensagem, se devemos ou não chamar no chat.

Você não precisa que te deem as respostas, você precisa que te mostrem como chegaram até elas antes de você. Aí você escolhe tua estrada.
Isso não significa que seguirá o mesmo caminho que elas, mas que por este as coisas podem funcionar.

Dizem que você não se permite viver coisas novas,
que quando parece surgir uma oportunidade você vai e foge, ou vai e fala demais, ou fala de menos, ou simplesmente espanta.
Aí te apontam o dedo dizendo que é uma pessoa complicada demais, que dificulta demais, que valoriza demais o que não merece.

E o que merece ser valorizado. Alguém consegue te responder?
Você não tem culpa em valorizar o abraço igual ou mais que uma noite de sexo. Você não tem culpa de reler mil vezes as mesmas mensagens.

Ninguém sabe o que você deve fazer.
Te dizem que “já passou a hora de mudar de vida”, que “o tempo voa e você está aí”, que “ignorar é a melhor saída”, como se você não soubesse cada uma dessas “dicas”. Aí você não aguenta, se descontrola e manda se ferrar quem chega pra te julgar, e claro, ainda sai de errado na história.

Suas ideias nunca são as melhores.
Quando imagina ter escolhido o presente ideal vem alguém e diz que não é tão legal assim, ou que até é legal mas não para ocasião. Depois que você já comprou o presente vem alguém para te mostrar uma oferta em outro lugar.

Você pensa em comprar uma roupa especial.
E aí te chamam de brega e dizem que é “um dia como outro qualquer”, que você não deve se preocupar tanto, que tem gastado dinheiro demais com o pouco.

Tem gente que diz para você ter paciência,
que você não vai morrer até o fim de semana, que terão outros muitos dias pela frente, que tem muita coisa pra viver e todo aquele blá blá blá que dá vontade de vomitar, mas ninguém considera que amanhã nada mais pode existir. Nem você, nem sua história, muito menos seus planos para o próximo fim de semana.

Não é todo mundo que consegue viver intensamente.

Daí vem gente falando para você se acalmar e pisar no freio.
Vem gente dizendo que você não pode demonstrar tudo tão rápido, que deve manter uma distância para preservar a saudade, que não deve responder as coisas rapidinho para não parecer uma pessoa desesperada. E aí voltamos ao “falam isso como se você não soubesse”. É que essas pessoas são aquelas lá de cima que vivem pelas aparências e sonham em viver uma história a dois só para ter foto curtida na internet; essas pessoas vivem uma mentira e não uma vida.

Aquele que usa o coração sempre assusta quem não usa.

É, pois é. É possível não usar o coração.
Pelo menos não publicamente. Essas pessoas não cantam para os quatro cantos as coisas que existem, mas quase choram sangue no travesseiro antes de dormir. Elas são assim.

Tem gente que acha que você manda no que sente, que existe um botão “parar” e um “começar” dentro de você, e por isso falam assim tão da boca pra fora “vê se faz alguma coisa”.

É isso.
Tem gente que não para e nunca vai parar de te falar um monte de coisa que você já sabe de trás pra frente. Eles vão continuar te apontando o dedo e falando num tom como se fossem donos da verdade.

Mas você não pode se importar,
pois a vida é sua.
Só sua.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s