Um Dia Difícil Para os Inimigos

Pensando bem,
Seria bem melhor se eu parasse de pensar.
Sei que tenho a mania de querer que as coisas saiam da minha maneira, mas quem não?
Não tenho paciência pra entender aquela história de “tudo a seu tempo” e etc, até porque quem precisa ser convencido disso não sou eu, mas o meu coração.
Mas já que as coisas não estão dando certo ao mergulhar de cabeça, é também de cabeça que eu vou sair de tudo.

Eu vou sair de todos os lugares onde entrei sem querer, inclusive da sua vida.
“Sua” no caso, de ninguém especial, mas de quem já me foi especial um dia.

Talvez este seja um momento meu.
É, talvez realmente o problema no momento seja eu. Tipo, por mais que eu queira tanto uma coisa, é inteligente reconhecer que talvez não seja a hora dessa coisa acontecer. Faz todo o sentido.

Eu nunca dei um tempo pra mim. Eu nunca vi quem eu sou. Eu nem lembro mais de quem já fui.

E não vejo problema, na verdade eu não vejo nada. Aí que está.
A gente passa a vida buscando sorrisos. E nem adianta aquele negócio de “eu não busco nada nada, deixo que as coisas aconteçam!” porque todo mundo busca. Cada noite que você sai para se divertir é uma nova oportunidade que está dando para que novos sorrisos se aproximem de você, em outras palavras, a gente vive dando chance pra gente.

Só que a gente também esquece de dar um tempo pra gente.
É, parar tudo e repensar nós mesmos, sem uma meta estabelecida, sem um por quê especial, sem uma satisfação oficial. É só uma questão de sentir a nós mesmos.
Todo esse raciocínio pode parecer meio filosófico demais, mas se fosse fácil se chamaria qualquer outra coisa, menos vida.

E a grandeza está em reconhecer que as coisas não andam bem.

Lembrando agora dos beijos que dei ultimamente é difícil encontrar algum deles onde eu estive de verdade. É que às vezes a gente vive as coisas às cegas e isso não é defeito, isso é ser humano. Mas também não causa efeito.
Todo dia a gente levanta pra buscar novos motivos pra viver. Cada dia de trabalho, cada passo dado, cada abraço, cada ligação e cada SMS, todas essas e outras coisas que a gente faz são pequenas atitudes nossas para de alguma maneira nos aproximar de coisas que gostamos.

O problema é quando a gente esquece de nós mesmos.
A vontade de abraçar o mundo é tão grande que esquecemos de abraçar a nós mesmos.

Acho que agora não é o momento de me arriscar tanto assim.
Não que seja por alguém, não que seja uma defensiva diante da vida, é só uma mudança de visão na tentativa das coisas melhorarem na minha vida.

Talvez não seja a hora de confessar saudades, não agora.
Talvez não seja a hora de formalizar sentimentos e intenções.
Talvez não seja a hora de ouvir os refrões que me levam para o passado.

E isso tudo porque talvez eu não esteja pronto pra tudo isso.
É claro que não dá pra controlar, mas dá pra eu mudar o foco e mudar a minha inclinação para os acontecimentos. Dá pra eu me preservar mais, dá pra eu me desculpar mais, dá pra eu me esforçar mais, dá pra eu correr mais, dá pra eu telefonar mais, dá pra eu visitar mais. E ao passo que eu for conseguindo cada uma dessas coisas eu estarei me distanciando da saudade dolorosa, da solidão que corta, da expectativa inflada, da vontade de clicar em “enviar” e tudo mais que me traga algum desequilíbrio.

Todo esse conceito pode cair por ter quando o sol nascer amanhã.
Posso acordar de um jeito pior ainda que acordei hoje, eu sei. Posso inclusive acordar mandando mensagens desnecessárias. E isso não será problema, desde que eu não faça mais nada fugindo de mim, pelo medo da minha própria vida, medo de mim mesmo, medo do meu próprio tempo, medo do meu próprio respeito, desde que eu não faça isso por medo de aceitar que eu sou a minha melhor companhia.

Não quero chorar ao ver uma foto. Não quero me desesperar com um chamado no chat, não quero fazer do celular refém do meu coração e me tornar dependente de cada vibração. Não quero viver coisas lembrando de outras.

Eu não quero mais me decepcionar comigo.

Por isso eu vou mudar.
E pra começar eu vou aceitar que talvez agora não seja o momento para que todas as coisas que eu quero realmente aconteçam. E então ao mesmo tempo que eu me respeitar eu estarei me preparando para tudo que eu realmente mereço.

Pensando bem,
Seria melhor se eu parasse.
Inclusive de pensar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s