E Se Eu Repetir Isso Todos os Dias?

Pode até não ser com você que eu vou dividir o resto dos dias da minha vida,
mas só de saber que por enquanto eu tenho você aqui pertinho já um motivo pra eu me tranquilizar.
Sabe, caminhei com o tempo até te encontrar naquele dia pela primeira vez.
Eu vivia uma fase só minha, que coisa, uma fase particular onde eu não via espaço para dois no meu edredom. E aí veio a minha primeira lição: quanto mais a gente acha que está certo, mais chances existem da gente estar errado.

A vida mudou quando eu mudei e comecei a ver beleza até na rotina de todos os dias.
Mais do que a preguiça ao acordar, comecei a agradecer por mais um dia indo trabalhar. Sem receber um salário que eu gostaria – é bem verdade, mas recebendo um salário que no momento eu merecia. Pouco a pouco eu fui mudando o jeito de ver a minha própria vida como se eu esperasse você chegar pra compartilhar comigo, com se eu me preparasse pra dar o meu melhor quando você chegasse.

E agora a gente dança até sem música.
A gente dança com a trilha do comercial na TV, a gente dança enquanto esperamos o microondas aquecer.

Agora estou conhecendo o meu melhor e devo isso à você.

Vi devagarzinho que gosto mesmo é do beijo mordido.
Nunca pensei que ia me arrepiar ao te ver pronta pra gente sair. E também nunca pensei que sentiria uma felicidade inédita ao te apresentar de boca cheia para os meus amigos, e quando voltar pra casa receber algumas mensagens no celular de alguns deles falando: “Vocês se combinam” me tirando um sorriso besta no canto da boca.

Quando a saudade vem me visitar,
dou um jeito de voltar na lembrança de você prendendo o cabelo ou do seu jeito preguiçosa de dizer que é cedo pra levantar.

A felicidade também é transformar as pequenas coisas em soluções contra a saudade.

Saudade que aperta e até me tira o ar,
pois é difícil ter que esperar a semana acabar pra te encontrar.
Mas a gente também tem aprendido juntos que a distância nem sempre fragiliza, ela só tende a fortalecer ainda mais e a nos tornar mais sinceros, pois as confissões de “quero que o tempo voe!”, “que semana longa!”, são de verdade e não são só efeitos de resposta obrigatória.

E quando você chega?
A gente se abraça devagar e nem passa pela cabeça se largar.
Coloco minha mão na sua nuca enquanto você passeia com os dedos pelo meu rosto. É a gente se reconhecendo e fazendo o nosso corpo conversar.
Encostamos nossas testas e mal consigo ver um sorriso abrindo em você. Tocamos o nariz e fazemos círculos de mimo que como se brincássemos com o nosso rosto. Te roubo um beijo pra te provocar vir atrás de mais um. Volto pra tentar outro e você me segura mordendo minha boca devagar – e o quanto isso é bom. A gente fica perto a ponto de ouvirmos nossa respiração acelerar. E como isso é surreal.

Já teve vezes que enquanto te via dormir pensei em quem passeou pelo seu corpo antes de mim.
Te ver deitada é te ver por inteira, te ver verdadeira, te ver na real beleza.
Pensei nessas pessoas por gratidão ao te deixarem me encontrar, pela gratidão de pelo terem terem te feito sorrir além de chorar e pela gratidão de terem sumido pra eu me aproximar.

Não tem espaço pra lágrima no seu rosto tão acostumado em ter sua boca sorrindo.

É bobagem, mas eu gosto de planejar.
É bom imaginar que você estará comigo nos próximos momentos da minha vida; é bom saber que posso contar com a sua companhia; é bom reservar um cantinho pra você dentro de cada um dos meus sonhos. E nem precisa dar tudo tão certo assim no final, valorizo o jeito que a vida muda de lugar. Mas tem um gosto especial ver a vida passando e te ligar pra falar que os bons momentos estão chegando.
E na sua vida eu também quero participar ainda mais.
Quero entender do que você tem medo e o que te coloca na parte baixa da gangorra que é viver.

Torço para eu ter também um cantinho pra chamar de meu na sua vida e poder te assistir sendo feliz.

Pode dizer sem se preocupar com o tempo,
dizer daquele jeito que é tão seu, pausadamente, fazendo de cada palavrinha uma nota musical ao meu ouvido. Pode dizer quando não tiver tantos motivos pra dar risada que eu prometo me virar pra te arranjar algum novo pra você. Pode confessar que gosta mesmo é de quando eu viro pra montar a conchinha e que gosta tanto também quando durmo depois só pra te massagear. Diz as coisas que você gosta que eu faço pra você, diz pra eu poder melhorar, pra eu poder caprichar.

Sempre dá pra fazer bem melhor depois que a gente sabe que o nosso melhor faz bem.

Diz também que eu continuo sendo alguém que tira um sorriso seu, sem julgar de ser o melhor, mas valorizando que pelo menos eu tento fazer com que seja um especial.

Igual eu te digo.

Pode até não ser com você que eu vou dividir o resto dos dias da minha vida, mas eu posso dizer que a minha vida já é divida em antes e depois de você.

CURTA: http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s