Como você quer que alguém goste de você?

Como você quer que alguém goste de você?
É que você parece tanto querer que as coisas aconteçam do jeito que deseja, que até cabem perguntas desse tipo.
Ele não pode se aproximar de você, perguntar o seu nome e te elogiar que você já vira a cara e diz que esses não prestam e que todos são iguais. Já chama de “conversa fiada”.
Ele também não pode te chamar pra sair pra fazer qualquer coisa que você já pensa que ele só quer terminar a noite de outra maneira. Ele não pode nem confessar que sente vergonha de falar sobre o quanto gosta de você e o quanto você é interessante pra ele, que você já diz que ele é cheio de mimimi demais e que certeza que é daqueles caras grudentos.
Ele também não pode ser mais ousado aqui ou ali.
Não pode deixar a mão correr pelo seu corpo no momento do beijo que você dispara um “Opa, vamos com calma”. Ele também não pode optar por te respeitar no mesmo momento do beijo e não tentar nada muito ousado que você já sabe que vai dizer para as amigas “Aff, ele é muito mole!”.
Se ele abre a porta do carro você ri e chama de brega, se ele não abre você nem sente falta porque não faz a menor diferença. Se ele te elogia você recusa.
Se ele te toca na balada pra falar ao pé do seu ouvido, você já faz gesto para as amigas se aproximarem e te salvarem dali. Se ele te convida pra ir ao cinema você inventa qualquer desculpa pra cancelar. E se vai, muitas vezes se força a evitar com que qualquer coisa melhor aconteça. Se você aceita e tudo acaba só em cinema, você diz que ele não sabe lidar com uma mulher. Se ele pede para que os amigos estreitem os laços entre vocês, você chama de infantil e brada que ele não tem atitude. Se ele te puxa pra te beijar desprevenida, você diz que tem pressa demais e que ansiedade atrapalha qualquer coisa.

Como você quer que alguém goste de você?
É que você, às vezes, parece encarar como tudo tão simples mas esquece que o valor está no esforço em viver.
Se ela aceita sair, você já pensa que é claro que ela vai aceitar terminar a noite numa cama qualquer dessa cidade. Se ela posta uma foto do rosto na internet você vai chamar pra conversar e “brincar” que está com ciúmes sem mesmo ter acontecido nada. Se ela te chama pra conversar sobre qualquer coisa, você já trata de inserir aqui e ali uma outra indireta que deixa claro que as suas intenções são sempre as segundas, esquecendo que as primeiras são as mais valiosas. Se ela te beija na balada você diz que foi muito fácil e já pensa que outros caras virão depois de você. Se ela sai com você mas não te beija nenhuma vez, você já desiste e julga como perda de tempo demais. Se ela não te deixa colocar a mão aqui ou ali você já chama de frescura e já desanima pra todo o resto. Se as amigas dela tentam estreitar o laço entre vocês, antes de se permitir, você julga no que vai ser interessante se envolver ali. Se ela te ajudou a ter uma noite incrível pra lembrar depois, você dá dessas de comentar com os amigos como se fosse mais um troféu pra guardar. Se o passeio foi incrível mas nada em especial aconteceu, você já trata de se culpar por isso, sem sequer ter tentado o contrário.

O problema está em você.
Talvez se pensasse que a melhor coisa é quando os dois aproveitam as coisas sejam diferentes. E aliás, as pessoas são diferentes. Tem vezes que dá pra perceber que ele quer te beijar, e talvez você possa facilitar isso se estiver minimamente confortável pra viver um momento bom a dois. Tem vezes que ela quer você faça um convite pra sair, e você pode facilitar isso se pensar que a companhia dela pode te fazer muito bem e que poucas coisas são melhores que proporcionar um sorriso em alguma outra pessoa.
São tantas regras e tantos modos de ser, que a gente esquece de ser do jeito que queremos. No fim, tudo que ela quer é ele, e tudo que ele quer é ela, mas preferem ficar nos joguinhos de “não vou responder agora pra não parecer que estou gostando demais”, ou “já fui atrás, agora é a vez dele(a)”. Ou prefere não facilitar, prefere criar problemas, ou prefere julgar, ou prefere ter certeza se é do jeito que você gosta, ao invés de conhecer um novo jeito que você pode gostar.
Quem sai ganhando com isso: ninguém. Você sabe do respeito que deseja que tenham por você, então, só precisa deixar claro de que maneira quer esse respeito. Ao mesmo tempo, você sabe de tudo que gosta e sabe quando alguém está se esforçando pra viver um segundo sequer da vida com você, então, só precisa deixar com que aconteça do jeito que os dois quiserem. É aquele negócio, o mundo já não anda fácil por um monte de coisa, é burrice se tornar mais uma coisa pra dificultar esse mundo.

Afinal, como você quer que alguém goste de você se você não deixa ninguém gostar de você?

COMPRE: Compre agora o seu livro “Um Travesseiro Para Dois”http://migre.me/hdGiY
CURTA:
 http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s