É claro que eu tenho medo, caralho

Ou você acha mesmo que só você tem medo de não dar certo de novo?
É engraçado como as pessoas olham apenas para os próprios umbigos e esquecem de considerar a vida dos outros.
Eu definitivamente não sou melhor que ninguém, mas eu sou alguém de carne e osso e estou de saco cheio dessa minha vida que joga gente na minha frente pra brincar com o jeito que eu sou. Que bosta!

Se eu pudesse escolher quem sou, talvez eu seria uma daquelas pessoas filhas da puta que usam outras pessoas como copos de plástico e depois fica tudo bem. Amanhã o sol nasce outra vez. Mas eu não conseguiria por dois motivos: primeiro porque isso vai contra o jeito que encaro a vida e o respeito que as pessoas precisam cultivar entre si; segundo que, meu, sério, ser uma pessoa desgraçada a ponto de prejudicar outra pessoa e não se importar pode ser qualquer coisa, menos ser humano, menos ser digna de ter vida.

Então assim, se for pra começar com essa de que “tem medo de viver de novo o que já viveu um dia” eu sugiro que se tranque no seu quarto pelo resto dos seus dias. Nem você, nem eu temos como saber como vai ser o futuro, sequer o amanhã ou o próximo segundo, mas me irrita esse discurso furado de “já passei por isso antes” como se TODAS AS PESSOAS FOSSEM IGUAIS E FOSSEM FODER COM A SUA VIDA SEMPRE.
A raiva aqui é pra expressar de forma clara toda a minha indignação sobre esse jogo barato de pisar em ovos sobre a vida, ao invés de só viver a vida como ela deve ser vivida.

Eu não quero perder meu tempo falando das coisas que já vivi e de quantas pessoas infelizes passaram pela minha vida, mas posso te dizer que apesar de não ser a pessoa mais experiente do mundo, eu sei bem o que é chorar de doer, e por mais que a minha dor não seja a pior do mundo, PRA MIM POR UM SEGUNDO FOI. Eu sei bem como é não conseguir dormir por ver a vida indo pelo ralo só porque uma pessoa se achou no direito de entrar na minha vida e sair como se nada tivesse acontecido e como se eu fosse só uma paisagem pela janela do ônibus.

Teve gente que quis me usar pra se distrair. Teve gente que me usou pra se vingar de quem nem conheço. Teve gente que fez com que eu me entregasse e me revelasse só pra ter o gostinho de dizer aquela bosta de “acho que você gosta mais de mim do que eu de você”. Teve gente também que me falou que o passado ainda é muito presente e que não se sente confortável pra viver o presente. E teve outras vezes em que me falaram que estavam com medo do futuro, assim como você tem feito. Entenda, o que me irrita não é o medo pela incerteza sobre como vai ser, mas sim, a covardia de nem tentar conhecer as exceções da vida.

Falto morrer quando ouço alguém dizer que “a vida é assim mesmo”, “as pessoas são todas iguais”, “normal fazerem isso”. Normal é o cacete! Não estou dizendo que não acredito nisso e que isso não faça algum sentido, estou dizendo que é injusto viver nivelando as coisas por baixo, na busca do “mais ou menos”, onde tudo que não for muito ruim já é motivo pra comemorar.
O que busco pra mim é a pessoa mais capaz de me fazer o máximo feliz possível. Eu nunca vou me sujeitar a viver por migalhas ou a aceitar uma vida mais ou menos, simplesmente porque eu me esforço em fazer com que a vida da pessoa que está comigo seja a melhor de todas, com que os momentos que dividimos entre para a lista dos inesquecíveis e não só fiquem na lista dos “momentos que já vivi”.

Me vendo falar assim pareço ser a pessoa mais durona do mundo, mas isso é totalmente o contrário. O que hoje me faz falar com tanta firmeza é a certeza de que eu quero o melhor dessa vida e vou correr atrás disso; a certeza de que eu sei bem que existem pessoas horríveis nesse mundo, mas que também existem pessoas incríveis, prontas e capazes de me fazer feliz de um jeito que eu nunca pensaria ser. Não consigo provar isso, mas consigo sentir isso.

Eu entendo os seus receios e como eu disse, são justos e fazem todo o sentido.
Mas por favor, não tenha medo de fazer com que a sua vida seja renovada, não tenha medo de deixar alguém entrar nela pra mostrar que tudo pode mudar, não tenha medo de arriscar e deixar com que tentem mais uma vez colocarem no seu rosto um sorriso que você gosta de exibir. Não tenha medo de eu estar aqui pra tentar te dar da vida o melhor, pois eu também já conheço muita coisa do pior. Eu também tenho medo, caralho. Só que mais do que medo eu tenho é vontade de viver as melhores coisas que a vida puder me proporcionar.

timidez

Em Dezembro de 2013 lancei o primeiro livro desse blog: “Um Travesseiro Para Dois”
Você pode comprar a sua unidade – e conferir fotos do lançamento – na fanpage do
blog no Facebook! Aproveite e curta também! :)

COMPRE O LIVRO | LEIA TEXTOS EXCLUSIVOS:http://www.facebook.com/umtravesseiroparadois

Anúncios

14 respostas em “É claro que eu tenho medo, caralho

  1. Eu infelizmente sou assim! Tenho um medo incontrolável de viver novamente tudo k que já vivi um dia, de sofrer tudo que já sofri um dia! Só quem já teve uma dor de tamanho imensurável, sabe o que é o medo de vivê-la novamente…

  2. Muito bom o texto, Márcio! Me identifiquei completamente.

    Estou passando por uma fase complexa (porém boa) em minha vida, que é ter uma nova companheira depois de ter saído de um relacionamento muito tenso. Sinto tudo isso que você escreveu: medo de viver de novo o que já vivi um dia, o déjà vu do “já passei por isso antes”, o medo (e até ansidade) pelo futuro e outras coisas. Mas não desisti de tentar em nenhum momento, pelo contrário, e amanhã completaremos 2 meses de namoro, sempre acreditando que posso fazer melhor e que esse medo escroto vai passar.

    Como diz aquela música do DC que você adora, “essa é pra você que vai lutar até o fim”!

    Abraço man!

    • Grana Alan, que honra teu comentário!
      Hm, entendi sua fase. Aproveite e mergulha, meu querido. Nada melhor que conhecer alguém novo pra renovar a nossa velha vida, né?
      Continua acreditando que as coisas boas estão vindo e que você tem que fazer sua parte para que cheguem!

      Tenta aparecer no show sábado, eu ficaria feliz em te ver.

      abraços!

  3. Eii, comecei a acompanhar seu blog hoje, já uns 10 textos, e todos são maravilhosos. Só queria agradecer por colocar em formato de texto, tudo o que passa aqui na minha e que ainda não consigo traduzir em palavras. Obrigada!

  4. BOM DIA, DESCOBRI SEU BLOG POR ACASO E ME ENCANTEI.
    SUAS PALAVRAS REFLETEM A TODOS PQ POR MAIS QUE SINTAMOS ISSO, POUCOS ASSIM COMO VC SAO CAPAZES DE DESCREVER.
    VOCE É EXCELENTE NO QUE FAZ.
    PARABÉNS!

  5. Márcio, que primor é esse teu blog aqui… Foi um acaso tão grande chegar até estas bandas, isso quer dizer, se existisse acaso, mas enfim… cá estou… e amei tudo !
    Você escreve de coisas reais, sobre pessoas reais que somos e hoje, infelizmente, a virtualidade faz com que vivamos em um mundo paralelo absolutamente diferente do que é a realidade (ou do que ela deveria ser…). Sou de uma década anterior à sua, iniciei os trabalhos pelo mundo virtual quando essa vida ainda nem existia, mas confesso à você, querido, que adoraria que as pessoas voltassem ao que eram antes. O mundo anda superficial demais e tudo o que precisamos é de mais amor, menos oba oba, mais abraços e sorriso no rosto, sabe ?

    Convido você para conhecer meu mundo, sim, também sou blogueira e ficaria honradíssima com seus comentários também por lá quando fizer uma visita, anote o cantinho e passe para tomar um café: http://www.meusescritoseoutraspalavras.blogspot.com

    Super mega beijo pra ti ! Voltarei sempre !

    • Agora sim, você apareceu nesse texto e foi até o outro, né? Haha!
      Que legal que também escreve, vou ver depois com calma sim!

      Sabe, eu nem tenho tanta experiência assim no mundo, mas desde que ficou claro pra mim o que é fazer bem pelas pessoas eu torço para que esse mundo seja assim um dia. Enquanto não dá pra ter certeza, vamos fazendo a nossa parte, né?

      Obrigado pelo carinho! :)

  6. Parabéns pelo que escreveu.

    Acredito que a vida já possui situações constrangedoras e difíceis o suficiente e que pede esforço e paciência da nossa parte. Por que algo tão sublime como “deixar o outro entrar”, não seria digno de enfrentar medos e se permitir? Não é ?

    Soa um tanto hipócrita da minha parte escrever isso, pois o medo em mim é visível e ninguém ainda quebrou os muros de gelo criados.

    Mas, novamente, parabéns pelo texto.

    Grande abraço.

    • A gente tem que deixar as pessoas entrarem mesmo, Jéssica!
      Só que temos o nosso tempo pra isso, não temos como fugir, é incontrolável. Mas para algumas pessoas é coisa rápida, pra outras, leva anos.

      Não fica com medo, fique ansiosa em ser ainda mais feliz.

      Obrigado por comentar,
      espero que leia outros textos.
      beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s